|
Campanha contra abuso sexual no transporte
05/09/2017
Estrada de Ferro Campos do Jordão participa da campanha "Juntos podemos parar o abuso sexual nos transportes"
A EFCJ, juntamente com a CPTM, o Metrô e a EMTU, participa da campanha “Juntos podemos parar o abuso sexual nos transportes”, lançada no último dia 29 de agosto no Tribunal de Justiça de São Paulo. O objetivo é unir instituições públicas e privadas para combater a violência sexual no transporte coletivo.

A campanha visa promover uma mudança cultural que estimule vítimas de abuso sexual nos transportes e/ou pessoas que presenciam algum episódio de violência a denunciarem os agressores, e consequentemente, inibir a prática desse tipo de crime.

Serão afixados cartazes nos trens e nas estações com mensagens alusivas ao tema, além de postagens nas redes sociais das empresas que integram a Secretaria de Estado dos Transportes Metropolitanos (STM). “Configura abuso qualquer ato físico, de cunho sexual, que não tem a concordância da pessoa”, explica a juíza Tatiane Moreira Lima, da Vara de Violência Doméstica e Familiar do Butantã, e uma das idealizadoras da campanha.

“Infelizmente abuso sexual acontece em todo lugar, mas, como milhões de pessoas utilizam diariamente o transporte coletivo, é fundamental unirmos forças para combatermos cada vez mais esse tipo de crime e levarmos essa importante mensagem a um público tão expressivo”, pontua o secretário dos Transportes Metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni. Outras ações de conscientização sobre o tema já foram realizadas pela pasta.

Como denunciar – Ao sofrer ou presenciar um abuso sexual nos trens, estações ou atrações turísticas da EFCJ a pessoa deve informar o fato imediatamente a um funcionário, apontando o autor, a fim de que o agressor seja conduzido a uma delegacia de polícia para o registro do Boletim de Ocorrência (BO). Os usuários podem ainda denunciar o ocorrido pelo telefone 190 do Centro de Operações da Polícia Militar.

Instituições que participam da campanha: Tribunal de Justiça de São Paulo, Ministério Público de São Paulo, Governo de São Paulo, Secretaria de Estado dos Transportes Metropolitanos, CPTM, Metrô, EMTU, Estrada de Ferro Campos do Jordão (EFCJ), ViaQuatro, Prefeitura de São Paulo, SPTrans, Ordem dos Advogados do Brasil, Polícia Militar, Polícia Civil, Secretaria da Segurança Pública e Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes de São Paulo.