|
Concluída reforma da subestação de Santo Antônio do Pinhal
27/11/2017
Estão finalizados os serviços básicos de manutenção corretiva da subestação da EFCJ.
Com a recuperação e instalação do terceiro transformador acabam de serem concluídos os serviços básicos de manutenção corretiva da subestação de Santo Antônio do Pinhal. Entre as intervenções realizadas no transformador estão a instalação de instrumentos modernos como o Relé de Buchholz (um dispositivo de proteção própria contra falta de óleo, acumulação de gases e falhas graves dentro do equipamento), sistema de remoção de umidade em sílica-gel, itens de segurança como termômetro de temperatura de óleo, dispositivo de alívio de pressão e
indicador de nível do reservatório. Foi feita ainda a verificação do núcleo da parte elétrica, como testes de relação
de transformação, resistência ôhmica dos enrolamentos, tensão aplicada e físico-químico, além de análise cromatográfica do óleo isolante.
Agora, os três transformadores do local estão operacionais após passarem por manutenções, sendo que antes das
intervenções dois deles encontravam-se inoperantes. A subestação utiliza dois transformadores operando ao mesmo
tempo e o terceiro é utilizado como backup. Esse sistema é de vital importância para a EFCJ, pois ele é o responsável
pela alimentação elétrica em corrente contínua que supre toda sua frota de automotrizes e bondes.
No início da atual gestão, em 2012, a subestação encontrava-se com grandes problemas no prédio e nos equipamentos.
Desde então, iniciou-se um processo de recuperação e adequação do sistema com recursos provenientes das receitas
da ferrovia e do tesouro do Estado, sendo realizadas, além das já citadas recuperações nos transformadores,
manutenção dos painéis de operação do sistema, manutenção dos conjuntos de retificação que estavam inoperantes
e serviços estruturais no prédio como troca de todo telhado, restauração das esquadrias de madeira e acabamento e
pintura das paredes internas e externas do edifício.
Após a finalização dos serviços de manutenção básicos as ações de melhorias na subestação continuarão. No início de 2018 está prevista a troca do pórtico de entrada, equipamento que faz a conexão dos fios elétricos da subestação com as linhas aéreas da ferrovia, bem como a renovação do sistema SPDA, de proteção a descargas elétricas atmosféricas.
Segundo Ewerton de Oliveira, diretor do Centro de Sistemas e Materiais Rodantes, “essas melhorias trazem eficiência
e confiabilidade para a operação e aumentam a segurança do sistema”.